Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - Matriculas Abertas
Anúncio - banner rodape
Anúncio - banner mobile rodape
Discoteca Retrô
O Rei em ritmo de aventura!
Publicado em 21/03/2017 às 11:34

Inspirado nos Beatles, a grande sensação do rock and roll da época, Roberto Carlos lançou em 1967 seu sétimo disco (LP, como se dizia então), criado especialmente para ser a trilha sonora e o pano de fundo do filme “Roberto Carlos em Ritmo de Aventura”, forrado de cores pop, empáfia juvenil, cenas de paquera e perseguições adrenalinadas...

O disco reunia algumas das mais potentes baladas românticas envenenadas do “Rei da Juventude”, título que ele ganhou de seus milhões de fãs que o cantor já havia conquistado: “De Que Vale Tudo Isso”, “Por Isso Corro Demais”, “Você Não Serve pra Mim”. Destaques: “Eu Sou Terrível”, “Quando”, “Como É Grande o Meu Amor por Você”.

Em julho de 1967 foram iniciadas as gravações de "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura". Orçado em meio bilhão de cruzeiros velhos, foi o primeiro filme de uma trilogia, que ainda incluiria os títulos "Roberto Carlos a 300 Quilômetros por Hora" (1969) e "Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-Rosa" (1971).

No embalo de uma trilha sonora que exaltava a velocidade ("Por Isso Corro Demais", "Eu Sou Terrível"), este filme é lembrado pelas gerações que acompanham o Rei em mais de 50 anos de reinado pela sua história e por aquelas incríveis cenas musicais marcadas por voos rasantes de um helicóptero pilotado por ele mesmo e por vertiginosas perseguições de carro.

A trilha sonora é um capítulo à parte. Além de servir de inspiração para o filme, reuniu importantes hits da Jovem Guarda, num período em que o movimento já sinalizava um certo esgotamento.

Na verdade, podemos considerar este um disco de transição na carreira do Rei, pois indica uma evolução na estrutura dos arranjos e a incorporação de uma variedade de instrumentos, algo que os Beatles já vinham experimentando na época.

Sem contar que a utilização mais frequente dos metais aponta para o início do namoro do cantor com a ‘soul music norte-americana’. Isto se tornaria mais evidente no seu próximo trabalho, "O Inimitável" (1968), que marca a sua saída da Jovem Guarda e o início de uma escalada rumo à apoteose romântica da década seguinte. Mas essa já é outra história...

O Portal ITALO presenteia as leitoras e leitores com o vídeo de “Por Isso Corro Demais”, uma das principais canções do primeiro filme do Rei. E aproveita para lembrar que volta e meia os canais de TV por assinatura reprisam as aventuras de Roberto Carlos no cinema.

Comentários
Veja também