Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Pilates mobile topo
Anúncio - Ecogarden mobile
Anúncio - Banner mobile
Anúncio - banner móbile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - campanha nova mobile
Discoteca Retrô
Ritchie, um rock star que marcou época!
Publicado em 05/08/2019 às 08:47

Alguém lembra do cantor Ritchie? Alguém conhece as canções de Ritchie? Apenas para estabelecer um comparativo a fim de que a nova geração possa avaliar o personagem, vale dizer que Ritchie foi para os Anos 80 o que Anitta e Alok são para a década atual! Um popstar de primeira grandeza, que é onipresente na mídia.

Não ouvir as músicas ou ver o rosto dele na TV era uma tarefa quase impossível para quem viveu a época do sucesso estrondoso do disco “Voo de Coração”, lançado em 1983, e das músicas “Menina Veneno”, “Casanova” e “A Vida Tem Dessas Coisas”.

Richard David Court, ou simplesmente Ritchie, é um cantor e compositor inglês radicado no Brasil, um absoluto colecionador de sucessos. Basta dizer que gravou mais de 90 músicas e a maioria virou hit...

Nascido no Beckenham, Inglaterra, morou em diversos países como Quênia, Dinamarca, Itália, RFA e Escócia, além de várias localidades da Inglaterra por ser filho de militar. Em 1972 conheceu em Londres um grupo de brasileiros, também artistas. Eram Os Mutantes, roqueiros famosos, que o convenceram a vir para o Brasil.

Se encantou pelo Rio de Janeiro! E resolveu ficar! (E até hoje vive feliz no Leblon!) Rapidamente se enturmou com a galera do showbizz carioca, que passaram a conhecer suas composições e seu estilo de cantar rock. Isso foi uma porta aberta para que ele iniciasse a sua carreira, incentivado pelos amigos com os quais frequentava o roteiro artístico da Cidade Maravilhosa.

E foi em 1983 que gravou “Voo de Coração”, seu primeiro álbum, pela gravadora Epic Records. Produzido por Vinyl, o disco fez um estrondoso sucesso, vendendo mais de 1,2 milhão de cópias. Reparem: isso aconteceu há mais de 30 anos!!! Poucos dias depois, ele tocava em todas as rádios do País e Ritchie passou a desfilar nos programas de maior audiência na TV da época! As músicas "Voo de Coração", "Menina Veneno" e "A Vida tem Dessas Coisas" durante mais de um ano inteiro figuraram nas paradas de sucesso e o disco vendeu mais do que cerveja gelada na praia do Leblon...

Durante dez anos seguidos reinou absoluto na cena roqueira brasileira e deixou verdadeiras marcas, em forma de músicas, até hoje admiradas por quem é apaixonado por rock and roll: Menina Veneno, Insônia, Coisas Do Coração      ,

A Vida Tem Dessas Coisas, Baby Meu Bem (Te Amo), Vôo de Coração, ...E A Vida Continua..., Telenotícias, Nesse Avião, Casanova, Tudo Que Eu Quero (Tranquilo), O Nome Do Amor, O Trem Vai, Bons Amigos, Pelo Interfone, Sopra o Vento    ,

Preço Do Prazer, Bad Boy, Nenhum Lugar, A Carta (The Letter) e outras...

“CANSEI DE SER FAMOSO!”

Mas por que, com tanto sucesso, Ritchie de repente desapareceu dos palcos e não gravou mais??? Tranquilo, ainda vivendo no Rio, numa de suas raras entrevistas o cantor revelou que  que não se arrepende da decisão que tomou naquela ocasião: “Logo de primeira eu conquistei exatamente tudo o que eu queria como artista. E isso deixou as coisas relativamente pouco atraentes depois. Eu cansei de ser famoso rapidamente, perdi o interesse em participar de programas de TV e de cumprir toda aquela agenda típica de uma celebridade”.

TROCOU A MÚSICA PELOS COMPUTADORES!

“Naquela época eu mergulhei de cabeça em programação e linguagens de computador. Foi quando recebi convite de Thomas Dolby em 1999 para trabalhar no Vale do Silício e sonorizei o site do Yahoo”.

“Tenho só dez discos na carreira. Não peco pelo excesso. Gravo só o que for necessário. Eu tinha a meta de tocar na rádio e ter um disco estourado. Consegui rápido. Me desinteressei na mesma velocidade...”, contou.

VÍDEO: “A VIDA TEM DESSAS COISAS”

Pela sua obra, Ritchie merece ser lembrado sempre! Então, vamos curtir “A Vida Tem Dessas Coisas”, um de seus principais sucessos! (ITALO FÁBIO CASCIOLA)

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Anúncio - Dentista
Comentários
Veja também