Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - banner mobile topo
Anúncio - MOBILE MARÇO
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - banner mobile
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - Procon móbile
E A CRISE CONTINUA...
Com preços subindo, a população está gastando menos
Aumento dos preços dos combustíveis impactou o orçamento mensal dos consumidores
Publicado em 01/04/2022 às 14:59 Ítalo
Com preços subindo, a população está gastando menos

O consumo das classes C e D no Paraná recuou 4% em fevereiro ante janeiro deste ano, de acordo com a Pesquisa de Hábitos de Consumo da Superdigital, fintech do Grupo Santander focada em inclusão econômica. O levantamento é realizado mensalmente e busca traçar o perfil do consumidor das classes C e D do Brasil.

Entre os paranaenses, as maiores baixas no consumo foram impulsionadas pelos setores de Prestadores de Serviços (-10%), Drogaria/Farmácia (-9%), Automóveis e Veículos (-9%), Serviços (-6%), Diversão e Entretenimento (-6%), Restaurante (-5%) e Supermercado (-2%). As altas foram observadas nos setores de Hotéis e Motéis (7%), Transporte (7%), Companhias Aéreas (5%), Lojas de Roupas (5%), Combustível (4%) e Lojas de Artigos Diversos (1%).

CENÁRIO NACIONAL

Já a média nacional sinalizou uma diminuição de 3% nos gastos. Na pesquisa, todas as regiões do Brasil mostraram queda no consumo, com o Norte impactando mais no resultado (-12%). Nas demais regiões, o Centro-Oeste fechou com redução de 9,3% no consumo, seguido do Sul, com 5,8% de queda, Nordeste, com retração de 5,5% e Sudeste, que viu seu consumo recuar 2%.

Luciana Godoy, CEO da Superdigital Brasil, afirma que o consumo foi impactado por ajustes que as famílias estão fazendo em seus orçamentos no início do ano. “As classes C e D sentem mais os efeitos das grandes contas do início do ano, como IPTU, IPVA, material escolar e pagamento de compras parceladas feitas para as festas. Além disso, com o aumento dos preços dos alimentos e dos combustíveis, o orçamento mensal fica sobrecarregado”, afirma a executiva.

SETORES MAIS IMPACTADOS

Os setores que mostraram quedas mais significativas no consumo foram Diversão e Entretenimento (-15%), Drogaria e Farmácia (-9%,) Hotéis e Motéis (-8%), Rede Online (-6%), Serviços (-3%) e Supermercado (-3%). Já o setor que se destacou com uma alta relevante no consumo foi o de Companhias Aéreas, que subiu 16%. Lojas de Roupas, Automóveis e Veículos e Telecomunicações também cresceram, 1% cada.

O levantamento mostrou também que o principal gasto no orçamento continua sendo com Supermercado (37%), seguido de Restaurantes (13%), Lojas de Artigos Diversos (11%) e Combustível (7%).

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também