Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - BANNER NOVO MOBILE SETEMBRO
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - Sustentabilidade móbile
Anúncio - 2 dose completa mobile
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner rodape
METEOROLOGIA
Por que a previsão do tempo erra?
É parte do dia a dia da meteorologia em qualquer lugar do mundo...
Publicado em 20/04/2021 às 10:36 Italo
Por que a previsão do tempo erra?

Quantas vezes não saímos de casa carregando um guarda-chuva, pois a previsão dizia que iria chover, mas no final não choveu... Ou acontece o contrário: saímos com roupa de verão e acabamos tomando “um forte banho de chuva” na rua. E quem já passou por isso ficou uma “onça” com o instituto de meteorologia que publicou a ‘informação’ que não se confirmou!

CONSULTORA METEOROLÓGICA EXPLICA...

Com ampla experiência no trato da informação meteorológica para os meios de comunicação, Josélia Pegorim é meteorologista da Climatempo - agência pioneira em consultoria meteorológica no Brasil - e tem uma relação muito próxima com a imprensa. Durante 10 anos, manteve coluna no jornal O Estado de S. Paulo e apresentou, durante 21 anos, boletins sobre o clima da cidade de São Paulo, na Rádio Eldorado, função que deixou há cerca de um ano. Atualmente, mantém um blog no portal da Climatempo. "Errar 'para a chuva' é o que há de pior no dia do meteorologista. Dizer que vai chover e não chove, é o pior erro. Se a previsão for de um dia nublado e com chuva, mas o sol aparece e chove pouco, pouca gente reclama", conta Josélia. A entrevista será publicada em duas partes. A primeira vai ao ar hoje, terça-feira (25), e a segunda, nesta quarta-feira (26).

IMPRENSA

- Quais as dificuldades em se produzir um boletim meteorológico para a imprensa?

Há alguma demanda específica, de acordo com o veículo solicitante?

Josélia - A maior dificuldade é "traduzir" a previsão e conceitos meteorológicos, explicar a previsão do tempo e qualquer outro fenômeno em termos simples, mas sem ferir a conceituação científica, ou com perdas mínimas do rigor científico. Não adianta falar para o público leigo em termos técnicos rigorosos, pois ninguém vai entender nada.

O objetivo é a boa comunicação, é fazer com que a informação meteorológica seja perfeitamente entendida e assim possa ser útil para as pessoas. Um boletim para a televisão, ou para um blog, porta na internet, para a impressa escrita de forma geral, poderá conter imagens que complementam e facilitam as explicações e o entendimento de certos fenômenos. Mas quando falamos no rádio, tudo fica mais complicado, pois temos apenas palavras para explicar. Falar sobre meteorologia no rádio exige maior destreza do profissional. O tempo de exposição em geral é curto e ele só tem a voz para se fazer entender.

IMPRENSA

- Quando a agência erra na previsão, há críticas por parte do público?

Josélia - Como acontece também em outras profissões, a crítica vem em geral com os erros. Na Meteorologia também é assim. As pessoas lembram de falar, de comentar, só quando erramos e principalmente se for a previsão para um fim de semana ou para um feriado. A previsão pode ficar perfeita por dias seguidos, mas quando se erra num fim de semana, as reclamações são muitas. As manifestações pelos acertos da previsão do tempo acontecem, mas são esporádicas. Pouca gente lembra de agradecer ou de cumprimentar o meteorologista porque ele avisou (e acertou) que o fim de semana seria de chuva e frio. Há uma brincadeira que diz assim: 'A culpa dos problemas das pessoas é sempre do meteorologista ou do economista. O problema é sempre o tempo ou o dinheiro' (risos). Errar 'para a chuva' é o que há pior no dia do meteorologista. Dizer que vai chover e não chove, é o pior erro. Se a previsão for de um dia nublado e com chuva, mas o sol aparece e chove pouco, pouca gente reclama. A experiência, a prática de observar o sentimento e a percepção das pessoas sobre as coisas do tempo permite dizer que a maioria das pessoas gosta mais do sol e do calor do que da chuva e do frio.

IMPRENSA

- Há alguma história interessante - sobre erros na previsão - para contar?

Josélia - Já tive grandes erros e grandes acertos. Um grande erro aconteceu com a previsão para o Carnaval de 2011. Dias antes da folia, a Climatempo soltou uma previsão que indicava dias com sol, calor e pancadas de chuva a partir da tarde para a maior parte do país. Mesmo com a previsão destas pancadas de chuva, a idéia passada foi de que daria para aproveitar. O erro de previsão aconteceu justamente na Região Sudeste, onde o Carnaval foi quase todo com predomínio de céu nublado e chuva. Errar na Região Sudeste tem um peso muito grande, pois é a região mais populosa, envolve São Paulo e Rio de Janeiro, as duas maiores cidades do país. O erro 'pesa' mais. Por conta do erro da previsão para o Carnaval, tivemos muitas reclamações, desde a pessoa comum que apenas queria curtir o sol e a folia, até hotéis e comércio em geral que tiveram prejuízos. A previsão para o feriadão da Semana Santa, por exemplo, ficou perfeita. Erros acontecem. É parte do dia a dia da meteorologia em qualquer lugar do mundo.

FONTE: Portal Imprensa

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também