Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - BANNER NOVO MOBILE SETEMBRO
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner rodape
APOCALIPSE
Nuvens de fumaça cercam Umuarama
Fumaça das queimadas na Amazônia chega ao Noroeste do Paraná!
Publicado em 23/08/2019 às 08:38 Italo
Nuvens de fumaça cercam Umuarama

A Amazônia há vários dias está pegando fogo em taxas recordes — e o desmatamento é responsável por essa tragédia ambiental! Os incêndios são tão intensos na Amazônia que a fumaça das chamas se espalha pelo Brasil inteiro. O fogo e a fumaça são tão fortes que podem ser vistos lá do espaço sideral!

Prova disso é que satélites da NASA capturaram imagens incríveis que mostram as cortinas com inúmeras nuvens de fumaça surgindo dos estados que compreendem a floresta na região Norte e Centro-Oeste do Brasil e se espalhando rumo ao Sul do Brasil. Elas foram originadas por imensas queimadas em Rondônia e Acre, na Bolívia, no Paraguai e no norte da Argentina.

Na cidade de São Paulo foi ainda pior na segunda-feira (19): o dia virou noite e a iluminação pública teve que ser acionada na maior metrópole do País para sair da imensa escuridão... Os meteorologistas explicam que esse fenômeno ocorreu devido ao encontro de uma frente fria (vinda do leste do Estado) com ventos quentes carregados de aerossóis gerados pelas queimadas.

O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) do Brasil informou que só neste ano já registrou um recorde de 72.843 incêndios, um aumento de 80% em relação ao ano passado. E que mais de 9 mil desses incêndios aconteceram na semana passada. Por aí podemos imaginar a situação dramática que o Brasil está vivendo neste momento, fato que passou a preocupar o mundo inteiro que se vê ameaçado pela destruição de parte da Amazônia – festejada como o “Pulmão do Planeta”.

NOROESTE NO TÚNEL DE FUMAÇA

O Paraná está entre as regiões afetadas por um corredor de fumaça proveniente das queimadas na Amazônia, que vem descendo pela América do Sul e chegou a escurecer o céu de diversos municípios das regiões mais a Oeste, Norte e Noroeste do Estado.

O MetSul Meteorologia confirmou que a fumaça que chegou ao Paraná é proveniente, essencialmente, de três focos principais: queimadas na região Amazônica, principalmente em Rondônia e no Mato Grosso; e dois grandes incêndios florestais, um registrado no Pantanal do Alto Paraguai, outro na Bolívia – ambos, quase na fronteira com o Brasil. O avanço da pluma de fumaça em direção à região Sul e ao estado de São Paulo foi captado por dois satélites – o NOAA-20, da Nasa, e o Sistema Copernicus, o programa de observação da Terra da União Europeia. Segundo o MetSul, o deslocamento foi favorecido por condições meteorológicas, como um forte vento norte.

É importante frisar que as queimadas na região amazônica estão situadas a mais de 2.500 quilômetros do Paraná, mas existe uma espécie de túnel entre aquela área e o Sul do Brasil, que contribui para que a fumaça de queimadas na floresta viaje a ponto de cruzar estados inteiros. As condições meteorológicas e geográficas favorecem a formação desse corredor. Não há, por exemplo, serras, para barrar o deslocamento da fumaça. Quando há uma junção de vento e tempo seco, a fumaça transita por esse corredor.

Explicando tecnicamente, essa fumaça que se origina na Amazônia tem um direcionamento para o Sul, guiada por jatos de baixos níveis - ventos mais fortes e de baixa altitude -, que vêm paralelamente à Cordilheira dos Andes. Quando chega nas regiões subtropicais, essa fumaça se espalha. Esse escurecimento depende da densidade das partículas de carbono, da fuligem.

E TEM MAIS UM GIGANTE: ILHA GRANDE

Como se não bastasse, além do corredor de fumaça provocado pelas tais queimadas que vêm desde a Amazônia, aqui no Paraná assistimos estarrecidos nos últimos dias o incêndio que já destruiu 62% do Parque Nacional de Ilha Grande, situado no Rio Paraná, aqui no Noroeste. Essa destruição poluiu o céu contribuindo para a queda na qualidade do ar.

Desde o dia 8 de agosto, o fogo já atingiu 47 mil dos 76 mil hectares do parque de Ilha Grande, situado a menos de 100 quilômetros de Umuarama, aqui no noroeste do Paraná. Um imenso paraíso ecológico devorado pelas chamas. Mais uma vez, acaba em cinzas... pois incêndios como esses já ocorreram várias vezes naquele território!

Reportagem: ITALO FÁBIO CASCIOLA

Edição: Thais Polesi

Imagens: NASA, teleSUR TV, Reuters, Greenpeace e National Geographyc

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Numa das imagens divulgadas pela NASA, Umuarama aparece rodeada por fumaça por todos os lados: O Noroeste do Paraná está servindo de passagem do efeito das queimadas gigantes que ocorrem em várias regiões do Brasil.

Satélites documentam lá do espaço sideral as queimadas que abalam o Brasil e o mundo; veja também o combate às chamas...

Comentários
Veja também