Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - BANNER NOVO MOBILE SETEMBRO
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - 2 dose completa mobile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - Sustentabilidade móbile
Anúncio - banner mobile rodape
PESQUISA GIGANTE
Veja como será o Censo Demográfico
180 mil recenseadores do IBGE visitarão mais de 70 milhões de domicílios
Publicado em 15/07/2019 às 08:02 Italo
Veja como será o Censo Demográfico

Conhecer em detalhe como é e como vive o nosso povo é de extrema importância para o governo e para a sociedade. Os resultados obtidos através da realização do Censo Demográfico permitem traçar um retrato abrangente e fiel do País.

O Censo Demográfico produz informações atualizadas e precisas, que são fundamentais para o desenvolvimento e implementação de políticas públicas e para a realização de investimentos, tanto do governo quanto da iniciativa privada. Além disso, uma sociedade que conhece a si mesma pode executar com eficácia ações imediatas e planejar com segurança o seu futuro.

Retratar o Brasil que entrará na próxima década é um desafio para o IBGE. Qual é o tamanho da população brasileira? Em que condições vive? Como se distribui no Território Nacional? Qual é o nível de escolaridade de nossas crianças e jovens? Quais as condições de emprego e renda da população? Estas e muitas outras perguntas serão respondidas pelo Censo Demográfico que o IBGE realizará nos meses de agosto a outubro do ano que vem.

Realizar uma operação de tamanha importância para a sociedade, com eficiência e eficácia no uso dos recursos, é uma tarefa que exige um planejamento longo e sólido, o que pressupõe a consecução de diversas etapas fundamentais para garantia de uma produção de informações relevantes e confiáveis.

PARA O IBGE, O CENSO JÁ COMEÇOU!

Como resultado do trabalho dos últimos meses, o IBGE já preparou as perguntas dos questionários do Censo Demográfico 2020. O questionário básico, a ser aplicado em cerca de 71 milhões de domicílios brasileiros, conta com nove blocos, subdivididos em 26 questões, sendo que a última, já prevista, não havia sido computada anteriormente, pois não exige uma resposta do informante.

Já o questionário da amostra, mais detalhado, tem 17 blocos, subdivididos em 76 questões. Por ser mais extenso, este questionário será aplicado em cerca de 10% dos domicílios particulares permanentes do país, o equivalente a cerca de 7,1 milhões.

Os temas que serão pesquisados no Censo 2020 são: características dos domicílios, identificação étnico-racial, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, deficiência, migração interna ou internacional, educação, deslocamento para estudo, trabalho e rendimento, deslocamento para trabalho, mortalidade.

180 MIL RECENSEADORES SERÃO CONTRATADOS

O Censo 2020 vai coletar informações em todos os 5.570 municípios brasileiros. Cerca de 180 mil recenseadores serão contratados, em regime temporário, por meio de processos seletivos, em todos os 27 estados do país. Entre os meses de agosto a outubro de 2020, os recenseadores visitarão os domicílios de modo a retratar os principais aspectos da população brasileira, estimada em 213 milhões de habitantes.

PARA QUE SERVE O CENSO?

O Censo, explica o próprio IBGE, é a única pesquisa a visitar as casas de todos os brasileiros - são mais de 70 milhões de residências, espalhadas por 5.570 municípios e 8,5 milhões de quilômetros quadrados!

É um trabalho gigantesco, que envolve cerca de 230 mil pessoas, bem diferente da pesquisa amostral, que investiga uma amostra da população e a partir de modelos estatísticos chega à representação do todo.

O IBGE informa que houve 11 Censos no Brasil desde 1872 e o mais recente foi em 2010, o que significa, para muitos pesquisadores e formuladores de políticas públicas, que alguns dados brasileiros estão desatualizados.

Dados do Censo ajudam a traçar panorama de estudantes de escolas, incluindo taxas de abandono. O Censo traz não apenas o tamanho da população brasileira, mas informações sobre frequência à escola e à universidade (e quais disciplinas estão sendo cursadas), saneamento, sustento da família, raça, mortalidade, tipo de moradia, coleta de lixo e fornecimento de energia elétrica, entre outros dados.

Embora outras pesquisas do próprio IBGE consigam obter dados confiáveis a partir de universos menores (as chamadas amostras de população), atualmente é só o Censo que consegue informações minuciosas de todos os municípios brasileiros.

Esses dados servem para embasar diversas pesquisas e políticas públicas, segundo especialistas ouvidos pela reportagem e o próprio IBGE.

"Do ponto de vista econômico, os dados da população ajudam a calcular os gastos (da União) direcionados aos Fundos de Participação do Municípios, dos Estados e da Educação Básica", explica à News Brasil Rogério Jerônimo Barbosa, pesquisador da desigualdade brasileira e doutorando no Centro de Estudos da Metrópole da USP, atualmente como visitante na Universidade de Columbia (EUA).

Ou seja, a partir dos dados de onde moram os brasileiros, e das diferenças de renda entre eles, é possível calcular quanto cada cidade e Estado receberá de recursos federais.

"Mas além de contar a população, o Censo coleta informações necessárias para muitas outras políticas", agrega. (ITALO FÁBIO CASCIOLA)

Confira o video CLICANDO AQUI

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também