Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - banner rodape
Anúncio - arte nova mobile
DIA DA MENTIRA
Na realidade, todo dia é 1º de abril!
Promessas não cumpridas e espertezas hoje viraram moda...
Publicado em 31/03/2017 às 00:00 Italo
Na realidade, todo dia é 1º de abril!

O dia 1º de abril é considerado em vários países ocidentais como o Dia da Mentira, uma data em que muitos se aproveitam para “pregar uma peça” em amigos ou mesmo em desconhecidos.

Mas como essa data teve origem? E por que ela ocorre justamente em 1º de abril?

As origens do Dia da Mentira não são plenamente exatas, mas é certo que remontam à França da segunda metade do século XVI.

Em 1564, o rei francês Carlos IX tornou oficial nos domínios de seu reinado o novo calendário, definido durante o Concílio de Trento (1545 a 1563). Esse novo calendário ficou conhecido como calendário gregoriano por ter sido proposto pelo Papa Gregório XIII. O calendário gregoriano substituiu o calendário juliano (proposto por Júlio César no século I a.C.), provocando alterações fundamentais, como a mudança de datas comemorativas.

O Ano Novo, por exemplo, era comemorado, no calendário juliano, sempre em 25 de março, quando se iniciava a Primavera no Hemisfério Norte. As comemorações duravam cerca de uma semana, finalizando-se no dia 1º de abril.

O calendário gregoriano mudou a comemoração dessa data para o dia 1º de janeiro – vigente até hoje. Carlos IX, sendo o primeiro a adotar o calendário, provocou uma mudança nos hábitos de seus súditos. Grande parte dos franceses, após 1564, ainda comemorava o Ano Novo na passagem do mês de março para o mês de abril.

Mas, aqueles que sabiam que o calendário antigo havia sido revogado começaram a zombar dos desavisados, chamando-os de tolos e acusando-os de comemorarem de forma mentirosa a passagem do ano.

O último dia da antiga comemoração, o dia 1º de abril, ficou marcado então como o “Dia da mentira”, isto é, da “comemoração mentirosa da passagem do ano”.

Em 1582, o Papa Gregório XIII publicou a bula ‘Inter gravíssimas’, que instituiu oficialmente o novo calendário em todos os países católicos. Esse fato contribuiu para que o Dia da Mentira se propagasse para outras regiões além da França, tornando-se popular em todo o mundo ocidental.

 

GRANDES MENTIRAS CONTADAS NO DIA 1º DE ABRIL

Como dissemos no início, o Dia da Mentira é frequentemente utilizado para se “pregar uma peça”. Muitos casos de mentiras contadas no dia 1º de abril tornaram-se famosos.

No Brasil, um dos casos mais notórios ocorreu em 1º de abril de 1848. O periódico pernambucano chamado sugestivamente de “A Mentira” noticiou o falecimento do então imperador do Brasil Dom Pedro II! Como sabemos, Dom Pedro II só morreu em 1891, na França. O jornal teve que desmentir o fato dois dias depois da publicação!!!

Outro exemplo que podemos dar, mais recente e de âmbito internacional, vem da empresa Google. O site de buscas Google é conhecido por ser um dos mais inovadores do mundo da internet, mas também um dos mais descontraídos.

No dia 1º de abril do ano 2000, o Google disponibilizou ao público uma versão de sua página de buscas chamada MentalPlex. A MentalPlex seria capaz de ler a mente das pessoas, isto é, não era necessário que a pessoa digitasse o que estava a fim de saber na barra de busca. Bastava apenas olhar fixamente em uma bolinha de cristal colorida e com movimentos gráficos hipnóticos, disponível na página, para que o próprio sistema soubesse o que você estava querendo saber.

Não é preciso dizer que muitos dos usuários do Google tentaram ter seus pensamentos ‘adivinhados’ pela MentalPlex...

 

PINÓQUIO, SÍMBOLO UNIVERSAL DA MENTIRA

Pinóquio vem do italiano Pinocchio e é um personagem do romance “As aventuras de Pinóquio”, escrito por Carlo Collodi, publicado em 1883. Desde essa data, foram feitas diversas adaptações da história, sendo a mais conhecida delas o filme da Disney de 1940.

O filme até hoje é um sucesso entre gente de todas as idades. Ele conta que Pinóquio foi esculpido a partir do tronco de uma árvore por um entalhador chamado Geppetto, numa pequena aldeia italiana.

Pinóquio nasceu como um boneco de madeira e sonhava em ser um menino de verdade. O personagem é famoso justamente porque toda vez que ele mentia, seu nariz crescia… E seu fiel companheiro Grilo Falante, na verdade era a sua própria consciência, vivia lhe dando broncas a cada vez que faltava com a verdade! Isso lhe conferiu o título de símbolo universal da Mentira!

Lamentavelmente, hoje a mentira deixou de ser pecado e virou virtude. Basta observar o cenário político atual, onde todos enganam a todos, principalmente aos eleitores... (www.colunaitalo.com.br)

 

Galeria
Comentários
Veja também