Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - banner mobile
Anúncio - Mobile
Anúncio - NATAL MOBILE
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - banner rodape
UM DIA DE PÂNICO!!!
O mais violento temporal da história
O evento climático danificou pelo menos 8.567 casas no Paraná
Publicado em 26/10/2021 às 09:20 Italo
O mais violento temporal da história

O temporal de sábado (23) foi classificado pelo governo estadual como o pior da história do interior do Paraná. O evento climático danificou pelo menos 8.567 casas, segundo boletim da Cedec (Coordenadoria Estadual da Defesa Civil), mas esses números podem ser bem maiores, já que os dados do Sisdc (Sistema Informatizado de Defesa Civil) foram atualizados até 18 horas desta segunda-feira (25).

O trabalho dos eletricistas da Copel, dos técnicos da Sanepar e das equipes da Defesa Civil para restabelecer a normalidade é intenso. Os ventos, que chegaram a atingir 100 km/h em algumas localidades, causaram duas mortes, uma em Londrina (Norte) e outra em Foz do Iguaçu (Oeste), e deixaram 26 feridos. Os ventos combinados com as chuvas destruíram 30 casas, desalojaram 478 pessoas, das quais 230 permaneciam nessa condição até o fechamento desta edição, e desabrigaram 36 pessoas em 56 municípios do Estado.

Segundo relatório da Defesa Civil, das 28.018 pessoas afetadas em todo o Estado, 12 mil foram afetadas em Alvorada do Sul, que registrou 3 mil casas danificadas. Foi o município mais prejudicado em termos de fornecimento de energia, interrompido praticamente por completo desde o temporal. O segundo município mais afetado foi Santa Helena (Oeste), com 10 mil pessoas atingidas pela tempestade.

A Copel divulgou que eletricistas das regiões Leste e Centro-Sul foram deslocados para auxiliar nas regiões mais atingidas, somando um contingente de 1.600 eletricistas na linha de frente. Desde o início do temporal, já foram atendidas 7.300 emergências em todo o Paraná. Havia registro de 92 mil unidades consumidoras sem energia no Estado no início da noite desta segunda.

NOROESTE

A Região Noroeste foi a mais severamente atingida e na tarde desta segunda-feira, foi possível recompor o fornecimento de energia aos municípios de Santa Inês e São Manoel do Paraná. As equipes seguiam atuando na troca de dezenas de postes para religar o fornecimento em Ourizona, São Jorge do Ivaí e Terra Rica. Dos 37 mil imóveis desligados em toda a região, 8 mil estão concentrados no município de Maringá.

NORTE

A Região Norte chegou a ter 133 mil unidades consumidoras desligadas, no auge do temporal. Ao todo já foram contabilizados 317 postes quebrados na região. Em Alvorada do Sul, foi possível recompor o fornecimento para a metade do município ainda na tarde desta segunda, e as equipes seguiam em campo para buscar concluir a reconstrução dos 29 postes quebrados para concluir a religação de mais boa parte dos 3,5 mil domicílios sem luz na cidade.

Londrina tinha 3,3 mil domicílios desligados, e Ibiporã, 697. Uma das pessoas atingidas é a mosaicista Alessandra Zanini, que estava há pelo menos 50 horas sem energia e teve que descartar tudo o que tinha na geladeira, porque os produtos estragaram. Moradora de Cambé, a 2 km do Jardim Ana Rosa, ela afirma que ligou para a Copel inúmeras vezes e não conseguiu resolver o problema. "Pior e que eles não atendem ligação nem dão previsão. No fim de semana passado ficamos 36 horas sem luz", declarou.

Em Ibiporã, havia 2 mil domicílios sem energia, cinco casas destelhadas; 16 casas invadidas pelas lama; quatro famílias atendidas pela Defesa Civil e Secretaria de Assistência Social, todas estas no Jardim Terra Bonita. Um total de 12 pessoas foram abrigadas em casas de familiares.

Os sistemas abastecimento Aquífero Guarani e Rio Jacutinga foram restabelecidos. A assessoria de imprensa afirmou que no município foram registrados 120 mm de chuva e ventos de até 90 km/h.

Segundo dados enviados pelo Corpo de Bombeiros ao Núcleo de Comunicação Social da Prefeitura de Ibiporã, foram registradas 11 ocorrências, entre sábado e domingo, diretamente ligadas aos danos causados pelo vendaval.

OESTE E SUDOESTE

Com 680 eletricistas e técnicos nas ruas desde cedo, a Copel já atendeu mais de 2,6 mil ocorrências nas regiões Oeste e Sudoeste. O número de postes quebrados chegou a 400, e 13 mil domicílios estavam sem energia.

Vera Cruz do Oeste e São Pedro do Iguaçu foram os municípios com mais domicílios desligados (mais de 70% do total). Ramilândia, que mais cedo estava praticamente sem energia, foi religada agora no final do dia.

A Região Noroeste foi a mais severamente atingida, e a conta de postes quebrados chegava a 392 estruturas. Nesta segunda-feira, a prioridade é concluir a religação dos municípios que estão com o fornecimento interrompido devido ao temporal, todos devido ao alto número de postes quebrados em suas fontes de alimentação: Terra Rica, Santa Inês, Ourizona e São Jorge do Ivaí.

Em Santa Terezinha do Itaipu foram danificadas 74 casas. Ao todo nove pessoas foram afetadas e seis ficaram desalojadas. Muitas casas foram destelhadas e edificações ficaram com suas fachadas danificadas. Postes de energia e árvores foram derrubadas pela força do vento.

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Todas as imagens que ilustram esta reportagem especial do Portal ITALO são de quedas de árvores em bairros da cidade de Umuarama.

Comentários
Veja também