Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - banner rodape
DECIDAM LOGO NÉ...
E o Auxílio volta ou não volta?!
Uma hora dizem que não, agora falam que volta em março por 4 meses...
Publicado em 12/02/2021 às 06:43 Italo
E o Auxílio volta ou não volta?!

Desde dezembro, quando o benefício chegou ao fim, vem se falando na necessidade de prorrogar o Auxilio Emergencial neste ano de 2021, pois a pandemia não acabou... Lideranças políticas já abordaram o assunto, mas de concreto até este momento nada foi anunciado definitivamente. Mas, se serve como esperança, esta semana o assunto voltou à tônica com maior força. E fontes oficiais garantiram que o auxílio emergencial deverá ser prorrogado em 2021, porém, o valor será de R$ 200 em três parcelas. Embora alguns parlamentares desejam que o retorno do benefício seja no valor de R$ 300.

DINHEIRO PARA QUEM ESTÁ SOFRENDO MAIS!

O ministro Paulo Guedes admitiu ser necessário atender os chamados “invisíveis”, que continuam sofrendo com os efeitos econômicos causados pela pandemia do novo coronavírus. Ele disse que 20 milhões de pessoas já estão amparadas pelo Bolsa Família e agora falta suprir essa demanda, de pagar a um grupo que é chamado pelo governo de invisíveis. Uma mudança deverá acontecer para o retorno do benefício, a ideia da equipe econômica é desvincular o nome do benefício ao simples fato de distribuir dinheiro às pessoas, acabando assim o Auxílio Emergencial e surgindo o Bônus de Inclusão Produtiva (BIP). O plano do governo é exigir da população que participe de um curso de qualificação profissional para facilitar a inserção no mercado de trabalho. O BIP deverá garantir uma assistência temporária às pessoas e poderia deixar de ser pago a quem conseguisse um trabalho no qual não seria mais necessário receber o beneficio. O orçamento para o novo programa deve ser incluído por meio de uma PEC no Congresso, onde a equipe econômica condicionaria este gasto excepcional ao corte de despesas em outras áreas do governo, ainda a serem negociadas com outros setores.

NOVO AUXÍLIO SERÁ PARA GRUPO MENOR

Mas, uma coisa é certa: o novo auxílio será para um grupo bem menor de pessoas. No entanto, ainda não se sabe quem ficaria de fora do novo programa. Um dos grupos que deve deixar de receber é o formado por Microempreendedores Individuais, os MEI’s, que já atuam em algum setor de serviço. Para o governo, será necessário atender a população extremamente carente, os informais e também do Bolsa Família, parcela sem possibilidade de renda e que não conseguiu emprego ainda em 2021.

AUXÍLIO DEVE VOLTAR EM MARÇO

Por outro lado, o presidente Jair Bolsonaro afirmou ontem, quinta-feira (11), que o novo auxílio emergencial para os trabalhadores informais pode começar a ser pago em março e deve durar entre três e quatro meses. Segundo ele, o valor não está definido e o início dos repasses está em negociação com o Congresso Nacional, que precisa aprovar um projeto de lei instituindo novamente a medida. O novo auxílio emergencial substituirá o auxílio pago ao longo ano passado, como forma de conter os efeitos da pandemia de covid-19 sobre a população mais pobre e os trabalhadores informais. Inicialmente, o auxílio emergencial contou com parcelas de R$ 600 ou R$ 1,2 mil (no caso das mães chefes de família), por mês, a cada beneficiário. Projetado para durar três meses, o auxílio foi estendido para o total de cinco parcelas e, em setembro de 2020, foi liberado o Auxílio Emergencial Extensão de R$ 300 (R$ 600 para as mães chefes de família), com o máximo de quatro parcelas mensais. O último pagamento do benefício ocorreu no final de janeiro. Cerca de 67 milhões de pessoas foram contempladas com o programa.

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também