Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - banner rodape
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner mobile rodape
ÚLTIMO SUSPIRO
Região Metropolitana, o fim do sonho!
Desde o ano passado, pressentia-se o fim da RMU...
Publicado em 10/07/2017 às 22:49 Italo
Região Metropolitana, o fim do sonho!

Em 2012, em clima de comemoração, foi criada a Região Metropolitana de Umuarama, fruto de um projeto de autoria do deputado Estadual Fernando Scanavaca.

Na semana passada, exatamente cinco anos depois, durante fórum que aconteceu no plenário da Câmara de Vereadores Umuarama, foi anunciado o último suspiro da RMU...

Nesse encontro, pasmem!, dos 23 prefeitos dos municípios que compõem a RMU, apenas três (isso mesmo, 3!) estavam presentes... E assim foi no decorrer de toda a existência da RMU.

Durante o evento, em clima constrangido e de tristeza por parte dos poucos presentes, a Comissão de Relações Federadas e Assuntos Metropolitanos da Assembléia Legislativa do Paraná e técnicos da Secretaria de Desenvolvimento Urbano do Paraná apresentaram a amarga notícia: das oito Regiões Metropolitanas existentes no Estado, apenas Curitiba, Maringá, Londrina e Cascavel sobreviverão.

Além de Umuarama, Apucarana, Campo Mourão e Toledo em janeiro de 2018 perderão os privilégios de Regiões Metropolitanas, pois elas não se enquadram nos requisitos do Estatuto da Metrópole.

 

DEPUTADO CULPA DESUNIÃO E DESINTERESSE DOS PREFEITOS!

O deputado Fernando Scanavaca, criador da Região Metropolitana de Umuarama, visivelmente aborrecido e inconsolável com a situação, não ficou calado diante do que estava acontecendo.

E foi incisivo em seu pronunciamento nesse evento: “O projeto foi criado com muito esforço e empenho e é lamentável que seja extinto por falta de união dos prefeitos que fazem parte da Região Metropolitana”.

E Fernando Scanavaca fez uma revelação sobre os benefícios que seu projeto trouxe durante a existência da RM: “É triste ver sair hoje, um projeto que trouxe mais de R$ 600 milhões numa região, e ver isso acabar!”.

Ao longo de seu discurso nesse fórum, Fernando Scanavaca fez questão de dizer em alto e bom som que “os prefeitos da nossa região gostam de migalhas”, referindo-se aos pedidos de pequenas obras e benefícios que fazem junto a órgãos governamentais, o que mostra o desconhecimento deles sobre a importância e a grandeza desse projeto (a RMU) e o impacto positivo que causa junto à população de seus municípios.

“Quando vejo que prefeitos ficam lá, atrás de ambulância, ficam lá atrás de viaturas, isso é migalha”, disse com firmeza o parlamentar.

 

CRIADOR PRESSENTIA O FIM DA RMU!

Em março do ano passado, a Associação Comercial e Industrial de Umuarama, que já percebia que a solidez da RMU estava em risco, promoveu um encontro para discutir o assunto com as lideranças regionais.

Apenas representantes das cidades de Umuarama, Cafezal do Sul, Pérola, Tapejara e Iporã marcaram presença à reunião no auditório da ACIU. Ou seja, há mais de um ano, pela fraca repercussão desse encontro, notou-se que o a RMU estava predestinada a acabar.

E, é importante frisar em alto relevo, que naquele encontro na ACIU, seu idealizador, o deputado estadual Fernando Scanavaca, lavrou uma previsão que acaba de se confirmar agora: “A chance dessa conquista ir por água abaixo é muito real”.

Naquele dia ele contou como foi sua luta de anos até conseguir que o projeto passasse por todas as comissões de análise, a Assembleia Legislativa aprovasse e o governador Beto Richa sancionasse a lei.

E Scanavaca deixou lavrado um aviso: “Não podemos deixar que uma grande vitória como essa se perca por descaso ou falta de determinação de alguns administradores”.

 

A IMPORTÂNCIA DE SER RM

A Região Metropolitana de Umuarama (RMU) foi criada em 6 de agosto 2012 com o objetivo de promover desenvolvimento econômico e social. Os benefícios são garantidos pelos governos federal e estadual, como recursos para habitação e redução no preço do transporte coletivo e das ligações telefônicas.

Porém, para garantir que a RMU seja instalada são necessários vários documentos oficiais, como o Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI), que nenhum dos municípios providenciou até agora... O prazo vence em janeiro de 2018.

Além de Umuarama, os municípios que fazem parte da Região Metropolitana são Alto Paraíso, Cruzeiro do Oeste, Ivaté, Perobal, Maria Helena, Xambrê, Altônia, Alto Piquiri, Brasilândia do Sul, Esperança Nova, Cafezal do Sul, Cidade Gaúcha, Douradina, Francisco Alves, Icaraíma, Iporã, Mariluz, Nova Olímpia, Pérola, São Jorge do Patrocínio, Tapejara e Tapira.

O que esperar do futuro? Depois deste fracasso, tentarão criar uma nova Região Metropolitana? Sentirão a falta dos benefícios que essa RMU, agora prestes a ser desativada, trazia para os municípios polarizados por Umuarama?

A única certeza é que esse assunto será usado na próxima campanha eleitoral, com discursos eleitoreiros pelos candidatos que surgirão querendo ser deputado estadual... Quem viver, verá! (ITALO FÁBIO CASCIOLA)

www.colunaitalo.com.br

Umuarama acaba de perder o status de centro polarizador de uma das 8 Regiões Metropolitanas que existiam no Paraná...

O deputado estadual Fernando Scanavaca, idealizador da RMU.

Mapa da RMU, criada em 2012 e constituída por 23 municípios.

Comentários
Veja também