Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Pilates mobile topo
Anúncio - Ecogarden mobile
Anúncio - banner mobile
Anúncio - USE MASCARA MOBILE
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - banner rodape
SAÚDE MENTAL
Consumir notícia ruim faz mal à saúde!
Esse tipo de ‘informação’ gera um ciclo danoso de tristeza, fadiga e angústia
Publicado em 01/06/2020 às 12:46 Italo
Consumir notícia ruim faz mal à saúde!

Nem só de tensões políticas mundo afora vive o ciclo de notícias ruins. Manchetes sobre as tragédias, crimes, situações aparentemente sem saída como a crise do clima ou as queimadas na Amazônia têm em comum algo, os dramas causados pelas doenças: elas são o possível gatilho de tristeza, depressão e estresse que podem causar em quem consome esse tipo de informação em excesso.

Segundo uma pesquisa realizada nos Estados Unidos – e que entrevistou mais de 4 mil pessoas acompanhando-as por anos – consumir notícias negativas impacta diretamente na nossa saúde mental.

As psicólogas Rebecca Thompson e Roxane Cohen Silver, pesquisadoras que assinam o estudo, revelaram para uma publicação especializada da Universidade da Califórnia que o consumo de notícias pela mídia e via redes sociais e por smartphones aumenta o acompanhamento obsessivo de tragédias ou crimes hediondos, principalmente através de vídeos e imagens que se repetem à exaustão.

Ler, ouvir ou assistir notícias ruins logo de manhã também pode te deixar mais ansioso e triste por todo o resto do dia. É como se você já começasse olhando o mundo de uma maneira negativa e isso tem impacto direto no humor.

A pesquisa coloca a exposição às manchetes negativas no nível de um problema de saúde pública, já que esse consumo excessivo pode desencadear depressão, ansiedade e estresse, doenças mentais que acabam prejudicando a vida das pessoas.

“Também pode gerar problemas de saúde física ao longo do tempo, mesmo entre indivíduos que não passaram pelo evento noticiado”, informa Rebecca Thompson.

‘DIETA DA INFORMAÇÃO’

É por essas e outras situações similares que a expressão “dieta da informação” começa a ganhar visibilidade. Seu significado é exatamente o de selecionar o que se vai consumir, a fonte em que isso é dito e o horário para ficar sabendo desse assunto.

Ao acordar e antes de dormir, por exemplo, recomenda-se não se expor à notícias ruins ou sensacionalistas. Elas podem ser gatilhos para insônia, crises de ansiedade e mudanças repentinas de humor.

O PODER DA NOTÍCIA BOA

Para sair desse estado de espírito ruim, leia informação positiva. Outros estudos já comprovaram o poder transformador da notícia boa. Depois de assistirem a histórias boas, entrevistados relataram que a sensação ter um “bom dia” foi prolongada, permaneceu em 88% do tempo, ou seja, eles ficaram bem quase o dia todo.

E, afinal que graça e que prazer há em ler jornalismo sensacionalismo sobre o que aconteceu de trágico e mau em sua cidade, seu estado, seu país e no mundo??? Hoje, com a internet, existem milhares de sites de entretenimento, de leitura, cinema, humor, gastronomia, turismo, música, dança, teatro, enfim, de tudo o que existe de mais positivo no planeta.

E, se os cientistas e médicos especialistas recomendam as boas notícias para o bem de nossa saúde mental, é inteligente procurar esses canais para tornar a nossa vida melhor e mais bonita de se viver.

FONTE; Com informações da UCINews, ScienceAdvances

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também