Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Pilates mobile topo
Anúncio - banner mobile
Anúncio - Ecogarden mobile
Anúncio - USE MASCARA MOBILE
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - banner rodape
TERRA SECA!
Umuarama amarga 1 ano sem chuvas!
Desde junho do ano passado não caem chuvas satisfatórias para a agricultura
Publicado em 10/05/2020 às 09:53 Italo
Umuarama amarga 1 ano sem chuvas!

A falta de chuvas que assola praticamente todas as regiões do Paraná chegou a níveis preocupantes. Dados do Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar) apontam que a ocorrência de índices pluviométricos abaixo das médias históricas já se arrasta desde junho de 2019 na região das nove maiores cidades do Estado, entre elas Umuarama.

Segundo o Simepar, esta á a pior estiagem já registrada desde 1997, quando o instituto começou a fazer este tipo de monitoramento. E essa longa seca afeta a produção agrícola no Paraná nas áreas mais produtivas: Curitiba, Ponta Grossa (Campos Gerais), Guarapuava (Centro), Maringá (Noroeste), Londrina (Norte), Foz do Iguaçu (Oeste), Cascavel (Oeste), Guaratuba (Litoral) e Umuarama (Noroeste).

A SECA EM NÚMEROS

Em números absolutos, Curitiba foi a cidade que registrou menos chuva no período de quase um ano: 725 milímetros. A redução corresponde a 43,1% da média histórica, que é de 1274 milímetros. Março deste ano também foi o mês mais seco na capital, com a precipitação de apenas 12 milímetros, em relação à média história de 127 milímetros. Na sequência, o termômetro da seca aponta para Ponta Grossa (40% de diminuição), Foz do Iguaçu (34,7%), Cascavel (33,8%), UMUARAMA (31,1%), Londrina (30,5%), Guaratuba (22,7%) e Maringá (15%).

PROJEÇÕES FUTURAS NADA BOAS...

Conforme o Simepar, as perspectivas não são favoráveis à ocorrência de chuvas representativas na próxima semana. O que se tem visto são apenas chuviscos esparsos. Em praticamente todo o Estado, o ar continua seco, o que dificulta a formação de nuvens carregadas. Em geral, os dias serão marcados por grande amplitude térmica, com baixas temperaturas no início do dia e durante o período noturno, mas com tempo mais quente ao longo do dia.

Os efeitos da escassez de chuva já são visíveis em diversos pontos do Estado. Nas últimas semanas, vêm circulando na internet fotos de diversos trechos de rios, como o Iguaçu e o Paranazão, mostrando que a vazão dos cursos d’água está bem menor que o normal. É possível fazer a travessia do Rio Iguaçu (próximo à Ponte da Amizade) e do Rio Paraná a pé, em alguns trechos. Em Itaipu, o nível do reservatório chegou a 42% do considerado normal. Um dos cartões postais da região Oeste, as Cataratas do Iguaçu, chegaram a ter sua vazão reduzida a 17% do normal.

INVERNO SECO

Segundo pesquisas em sites de meteorologia, não há esperança de mudanças significativas, pois com a chegada do inverno, uma estação típica de poucas chuvas e mais frio, a estiagem continuará. Ou seja, vai se repetir o que ocorreu ao longo do segundo semestre de 2019: terra seca! E a agricultura paranaense continuará enfrentando problemas...

E, para manter a tradição, esses problemas serão refletidos em altas de preços dos produtos agrícolas consumidos pelas populações das cidades. (ITALO FÁBIO CASCIOLA)

FONTES: Consultas ao Simepar e ClimaTempo

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também