Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - NATAL MOBILE
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - Mobile
Anúncio - banner mobile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner mobile rodape
TÁ RUIM, HEIN!!!
Gasolina caríssima... carro fica ‘esquecido’ na garagem!
62,5% dos motoristas diminuiu a frequência de uso de veículos
Publicado em 25/10/2021 às 10:43 Italo
Gasolina caríssima... carro fica ‘esquecido’ na garagem!

Um levantamento do Instituto Paraná Pesquisas divulgado na semana passada mostra que 62,5% dos motoristas diminuiu a frequência de uso de veículos por conta da alta no preço dos combustíveis.

Até 9 de outubro, segundo dados da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o preço médio do diesel chegou a R$ 4,96 por litro no Brasil. A gasolina foi a R$ 6,11 e o etanol a R$ 4,77. A região com a gasolina mais cara é o Centro-Oeste, onde o litro é vendido a R$ 6,28. Já o óleo diesel mais caro é encontrado no Norte, custando R$ 5,16.

O Norte também empata com o Nordeste no etanol mais caro: R$ 5,25 por litro. A região com a maior desistência é o sul do país, onde o índice bate 66,3%. No Norte e no Centro-Oeste é de 61,2%, no Nordeste de 60% e no Sudeste de 63,3%. A pesquisa também informa que as pessoas com menor nível de escolaridade também são as mais afetadas: 66,8%.

Na comparação de gênero, são 63,9% as mulheres que diminuíram o uso, e 61,2% dos homens. O presidente da Petrobras, Joaquim Silva e Luna disse que a Petrobras não tem capacidade para controlar o preço dos combustíveis, pois, segundo ele, as variações passam por "incômodas verdades" que são pouco apelativas. Entre as razões estariam a alta do dólar e o preço das commodities.

O site Poder360 informa que foram entrevistados, por ligações telefônicas não robotizadas, 2.3000 habitantes com 16 anos ou mais em 26 Estados e Distrito Federal de 12 a 15 de outubro de 2021. O grau de confiança da pesquisa é de 95%, com margem de erro de 2%.

FONTE: Poder360

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também