Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Mobile
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - banner mobile
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - NATAL MOBILE
Anúncio - banner rodape
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - arte nova mobile
DEU RUIM, HEIN!!!
Vacinação lenta demais: Paraná sofre com a falta de doses!
Desde o início da vacinação, houve atrasos na entrega de imunizantes
Publicado em 30/04/2021 às 11:33 Italo
Vacinação lenta demais: Paraná sofre com a falta de doses!

O Paraná conseguiu acelerar ao longo do mês de abril o ritmo da vacinação contra a Covid-19. Até ontem (28), conforme dados da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa-PR), 1.698.462 paranaenses haviam sido vacinados contra o novo coronavírus, sendo que apenas no mês de abril 719.744 pessoas tomaram a primeira dose do imunizante, valor 5,69% superior ao total de vacinados (1ª dose) ao longo de todo o mês de março. Mesmo vacinando mais, no entanto, o estado ainda está longe, mas muito longe do ritmo ideal ou mesmo de sua capacidade máxima de vacinação. Em entrevista o secretário da Saúde, Beto Preto, comentou que o estado tem condições de vacinar até 200 mil pessoas por dia. “Tendo vacina na mão, o Paraná tem condições de vacinar 150 mil, 200 mil pessoas por dia. Se tivermos vacina, a capacidade de vacinação é enorme. Chegando mais cargas, a orientação é que os municípios façam acontecer, vacinem sábado, domingo…

Cada vacinação feita é a chance de tirar uma pessoa da possibilidade de ficar doente”, destacou na ocasião o secretário. Desde o início da vacinação, no final de janeiro, porém, foram imunizadas apenas 17.730 pessoas diariamente (considerando aqueles que tomaram a primeira dose do imunizante). Em abril, com o programa de imunização em ritmo um pouco mais acelerado, foram 25.705 indivíduos vacinados a cada dia. Ainda longe, contudo, da capacidade máxima do sistema de saúde paranaense.

Para piorar, até esta quarta-feira (28) já haviam sido aplicadas no estado 93,2% das primeiras doses disponibilizadas aos municípios, restando ainda 123.914 doses de imunizante para serem utilizadas em indivíduos que ainda não foram parcialmente imunizados. Isso significa que, para acelerar ainda mais o ritmo da vacinação, o Paraná depende do repasse de mais fármacos por parte do Ministério da Saúde. E aí está o problema.

Para o mês de maio, o governo federal prevê a entrega 32 milhões de doses aos estados, 30% a menos do que a previsão inicial, de 46 milhões. Para abril, o cronograma da pasta chegou a prever a distribuição de 47 milhões de imunizantes, mas o número de doses entregues não deve superar os 27 milhões. Diante deste cenário, a solução tem sido empurrar para frente as previsões.

A estimativa inicial do governo federal era de que até maio o Brasil já teria vacinado os grupos prioritários com, pelo menos, a primeira dose dos imunizantes. No Paraná, isso representaria quase 4,1 milhões de pessoas protegidas contra a Covid até o quinto mês do ano. Na última semana, porém, o Ministério já mudou a estimativa, prevendo que as pessoas que se encaixam nos critérios de prioridade devem receber a primeira dose até a 1ª quinzena de julho e as duas doses até o final de setembro.

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também