Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - CAMPANHA NIVER 63 ANOS
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - Matriculas Abertas
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - banner mobile rodape
AMIGO PET
Gatos aliviam a dor da depressão no isolamento social
Com eles as pessoas se sentem menos sozinhas e abandonadas
Publicado em 23/12/2020 às 09:05 Italo
Gatos aliviam a dor da depressão no isolamento social

Uma pesquisa divulgada na sexta-feira passada (18) nos Estados Unidos, que entrevistou 2 mil pessoas que têm um gato como animal de estimação, revela o quão importantes eles têm sido para seus donos em tempos de pandemia de coronavírus. Entre os entrevistados, 75% disseram que não conseguiriam passar pela quarentena sem o seu gato. Como boa parte dos americanos, que têm ou não animal de estimação, tiveram que ficar praticamente trancados em casa por quase um ano, atendendo a recomendações de autoridades de saúde, 57% das pessoas ouvidas pelos pesquisadores disseram que, com os gatos, se sentiram menos sozinhos e abandonados e que eles ‘dão vida’ à casa nos momentos de solidão. Já outros 49% dos ouvidos revelaram que no clima de depressão que viviam, com medo de contaminação do vírus e que ficaram isolados em casa, se sentiram bem menos ansiosos na companhia dos gatos. Quem tem um animal de estimação costuma travar longas conversas com o bicho, como se humanos fossem. De acordo com a pesquisa, 41% dos ouvidos afirmam que ter um gato é como ter um “amigo” para conversar. Já 35% disseram que o animal de estimação traz uma sensação de positividade e alegria para seus dias. Como tiveram que passar por um período diário longo em contato com o bichinho de estimação, a pesquisa também mostrou que 66% dos proprietários de gatos aprenderam algo novo sobre eles; e três em cada quatro entrevistados revelaram que ficaram mais próximos de seu gatinho com a quarentena. Estar confinado dentro de casa deu aos entrevistados tempo para descobrir um novo local em que seu gato gosta de se esconder (64%), perceber um novo comportamento (57%) e descobrir um novo alimento de que seu animal de estimação gosta (55%). Outro efeito benéfico do fato de seus donos terem ficado confinados por um longo tempo com seus gatos: 86% das pessoas ouvidas disseram que querem cuidar de seus animais de estimação porque se sentem cuidados por ele.

“PARTE DA FAMÍLIA”

O apreço que os americanos demostram pelos gatos não é muito diferente no Brasil. Aqui, segundo pesquisa do Ibope, 45% das pessoas que têm o felino como um animal de estimação o consideram como “parte da família”. Outro dado que mostra o amor dos brasileiros por gatos. No mundo, esses animais representam 12% dos animais domésticos. No Brasil, conforme dados do Ministério da Agricultura, são 27%. E a procura por gatos em pet shops e em entidades para adoção vem aumentando cada vez mais, superando o número de cães.

FONTE: Pesquisa publicada no Journal of Veterinary Behaviour

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também