Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - NATAL MOBILE
Anúncio - banner mobile
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - Mobile
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - banner rodape
BOA NOTÍCIA!
Vendas de Natal serão maiores do que o previsto...
A previsão é da Confederação Nacional do Comércio (CNC)
Publicado em 16/12/2020 às 08:54 Italo
Vendas de Natal serão maiores do que o previsto...

Segundo previsão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) neste final de ano as vendas serão maiores do que o previsto inicialmente. A entidade revisou sua projeção de um crescimento real no volume vendido de 2,2% para 3,4% em relação ao mesmo período de 2019. O Natal, a data a mais importante para o varejo brasileiro, deverá movimentar R$ 38,1 bilhões neste ano!

COM QUEDAS DE PREÇOS, VENDAS AUMENTAM...

Diante da crise econômica em vigor, este ano as passagens aéreas (-25,2%), as passagens de ônibus intermunicipais (-8,9%), os brinquedos (-7,9%), roupas e sapatos estão mais baratos agora do que às vésperas do Natal passado. As pesquisas de mercado mostram que todos os itens de vestuário estão com queda de preços. Basicamente, por causa da mudança nos nossos hábitos de consumo durante a pandemia. Caiu a demanda, caíram os preços... Principalmente no caso das passagens aéreas, as famílias praticamente aboliram esse tipo de gasto. Vestuário também é um dos setores que ainda não recuperaram o patamar de vendas do pré-pandemia.

SUPERMERCADOS EM ALTA

Segundo a CNC, o comércio eletrônico deve ter um crescimento real de 64% nas vendas voltadas para o Natal em relação ao mesmo período do ano anterior. Considerando as lojas físicas e virtuais, o setor de supermercados concentrará 41,8% do volume vendido, seguido pelos segmentos de vestuário, calçados e acessórios (18,7% do total) e artigos de uso pessoal e doméstico (17,4%). A CNC estima a abertura de 70,2 mil vagas temporárias para o Natal no varejo em 2020, pois as lojas de vestuário e calçados devem contratar o maior número de trabalhadores (39,1 mil), seguidas por supermercados (13 mil) e lojas de artigos de uso pessoal e doméstico (11,7 mil). Apenas 19,8% desses trabalhadores temporários devem ser efetivados após o Natal de 2020, calcula a entidade.

FONTE: Confederação Nacional do Comércio

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também