Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - BANNER NOVO MOBILE SETEMBRO
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - Sustentabilidade móbile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - 2 dose completa mobile
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner mobile rodape
Entrevista
Quando é hora de consultar o psiquiatra?
Dra. Caroline Mattos responde dúvidas sobre comportamento agressivo
Publicado em 12/10/2017 às 21:20 Ítalo
Quando é hora de consultar o psiquiatra?

Diante dos assuntos policiais que encheram os noticiários de Umuarama nas últimas semanas, uma pergunta ecoa entre pais e educadores: É possível prevenir comportamentos agressivos?

Para esclarecer essa dúvida, a médica psiquiatra Caroline de Mattos responde:

Coluna Ítalo: O que um comportamento violento pode estar escondendo?

Dra. Caroline Mattos: Em geral, comportamentos de extrema violência ou comportamento suicida são reflexo de algum transtorno psiquiátrico. O problema é que existe um “tabu” quando se fala em buscar um médico psiquiatra. Então, mesmo precisando de ajuda médica, muitas pessoas e também familiares, preferem ignorar a situação.

Coluna Ítalo: Quem pode ajudar?

Dra. Caroline Mattos: A família é fundamental na prevenção do suicídio e de comportamentos agressivos. Mesmo que a família não saiba da causa, pode observar mudanças no comportamento. Nada acontece de repente.

Coluna Ítalo: Que fatores podem levar a um transtorno psiquiátrico?

Dra. Caroline Mattos: As causas podem ser um trauma, depressão, uso de drogas ou álcool, entre muitos outros. Embora seja raro entre as crianças, é preciso lembrar que o uso de drogas ocorre em todos os níveis sociais. Por isso, o acompanhamento da família é fundamental na percepção da mudança de comportamento, sintoma tão acentuado no consumo de drogas.

Coluna Ítalo: Como perceber que um filho, amigo ou parente pode agir de forma violenta?

Dra. Caroline Mattos: Mais uma vez, eu reforço a ideia: O acompanhamento familiar é a melhor prevenção em qualquer caso de ordem psiquiátrica. Os pais precisam saber onde estão os filhos, com quem estão, aonde vão e o que fazem, é preciso conversar com eles e perceber as mudanças no humor e no comportamento. São estas mudanças bruscas que indicam o momento de procurar um médico psiquiatra ou um psicólogo.

Coluna Ítalo: Como é o acompanhamento do médico psiquiatra?

Dra. Caroline Mattos: Durante a consulta, o médico avalia os sintomas a partir do que o paciente diz e faz o diagnóstico. Se for necessário, será indicado o uso de medicamento e/ou terapia junto a um profissional de psicologia.

Qualquer pessoa pode ser atendida por um psiquiatra, gratuitamente, nas unidades do SUS (Sistema Único de Saúde) em Umuarama e região. O município dispõe ainda de duas unidades de atendimento específico na área da Psiquiatria: Centro de Apoio Psicosocial (CAPS) e Centro de Apoio Psicosocial Álcool e Drogas (CAPS-AD). 

Comentários
Veja também