Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - BANNER NOVO MOBILE SETEMBRO
Anúncio - banner rodape
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - 2 dose completa mobile
Anúncio - Sustentabilidade móbile
A PERGUNTA DA HORA
Por que as pessoas morrem mesmo vacinadas contra a covid?
Mortes de cantores e atores famosos já imunizados provocam dúvidas
Publicado em 13/08/2021 às 09:30 Ítalo
Por que as pessoas morrem mesmo vacinadas contra a covid?

Que a vacina contra a Covid-19 é eficaz isso não há como discordar. Um dos aspectos que mudam de vacina para vacina é a porcentagem da eficácia, sendo todas eficientes. No entanto, há pessoas que, mesmo tendo tomado as 2 doses da vacina, contraem o vírus e morrem por complicações da doença. Esse foi o caso do ator Tarcísio Meira, que faleceu nesta quinta-feira (12), aos 85 anos, vítima da Covid-19. O ator havia tomado as duas doses da vacina contra o coronavírus.

MAS POR QUE ISSO ACONTECE, MESMO COM PESSOAS VACINADAS?

Após uma certa idade, o corpo não consegue mais produzir imunidade, o que é chamado pelos médicos de imunossenescência. “Em idades avançadas, o corpo não consegue criar defesa suficiente e compromete a eficácia da vacina”, explica o médico infectologista Filipe Prohaska. Para o médico, alguns outros fatores podem contribuir para reduzir a eficácia da vacina.

“Existem grupos populacionais específicos que não têm tanta maturidade para produção de imunidade, como pessoas com desnutrição, obesidade, pessoas sedentárias, quem toma medicação com imunossupressores, quem fez transplante de órgãos sólidos ou medula óssea e a idade”, explica.

Ainda de acordo com Prohaska, para gerar imunidade, o sistema imunológico tem que estar funcionando bem. “Parece um disco riscado falar sobre isso, mas tem que se alimentar bem, fazer exercícios para que não fique desnutrido ou obeso, por exemplo, e isso interfira na imunidade e reduza a eficácia da vacina”, detalha.

O infectologista ainda lembra que quando o indivíduo toma a vacina, o corpo aprende a criar defesa contra doenças. “É aí que algumas pessoas sofrem, pois quando o sistema imunológico não está trabalhando corretamente, não é gerada uma imunidade completa que a vacina pode oferecer”, acrescenta e ainda ressalta que as mortes de pessoas vacinadas são uma exceção. “É bom ressaltar isso, pois é exceção. Não há dúvidas de que a vacinação é o melhor caminho para combater a Covid-19”, conclui.

FONTE: Agências de notícias

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também