Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - BANNER NOVO MOBILE SETEMBRO
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - A FORÇA QUE UMUARAMA PRECISA MOBILE
Anúncio - banner mobile rodape
ESTRAGARAM O VERÃO!
Preparem-se: A cerveja vai ficar mais cara em outubro!
Caloooor, festas de fim de ano, férias, praias, heeeeeein?!!!
Publicado em 29/09/2021 às 10:27 Ítalo
Preparem-se: A cerveja vai ficar mais cara em outubro!

Esta é uma notícia que vai azedar o bom humor de multidões pelo Brasil afora... A cervejaria Ambev, dona de marcas como Skol, Brahma, Antarctica, Bohemia e Stella Artois, vai aumentar o preço das cervejas a partir deste sábado (2)!!! Segundo apurou a reportagem com donos de restaurantes em São Paulo, a partir de outubro, haverá aumento de 5% a 6% em cervejas e chope.

A Abrasel (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes) confirma o aumento de preços e afirma que o reajuste deve vir alinhado com a inflação acumulada nos últimos 12 meses, em torno de 10%. Procurada, a Ambev não respondeu até a publicação desta reportagem. Mas no comunicado enviado a clientes e distribuidores, ao qual a reportagem teve acesso, a cervejaria - que concentra 60% de participação de mercado no País - afirma que o reajuste vai seguir, “em linhas gerais, a variação da inflação, variação de custos, câmbio e carga tributária”.

De acordo com o comunicado, “os reajustes podem variar entre regiões, marcas, embalagens e segmentos”. “Reforçamos o nosso compromisso com a competitividade das nossas marcas no mercado, visando sempre a boa performance do volume de vendas da indústria”, diz a Ambev no comunicado. Segundo a consultoria Euromonitor, este ano a venda de cervejas no Brasil deve atingir R$ 197,97 bilhões, uma alta nominal de 7,3% sobre 2020, sem descontar a inflação. Na opinião de Marcelo Balloti Monteiro, analista do setor de bebidas da Lafis Consultoria, a pressão de custos está bastante elevada, em especial, de matéria-prima e energia.

“Mas, em um primeiro momento, o impacto do aumento de preços deve ser menor na demanda, porque ocorre em um momento de retomada de diversos eventos e com a aproximação das festas de fim de ano”, afirma

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também