Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - banner mobile topo
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - banner mobile topo
Anúncio - MOBILE MARÇO
Anúncio - banner rodape
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner mobile rodape
ATENÇÃO, UMUARAMA:
VIOLÊNCIA CONTRA OS IDOSOS
Denúncias na Delegacia e Polícia Militar (190), Guarda Municipal (153) e Disque 100
Publicado em 15/06/2022 às 17:16 Italo
VIOLÊNCIA CONTRA OS IDOSOS

Em alusão ao Dia Mundial de Conscientização da Violência Contra a Pessoa Idosa (15 de junho) foi realizada na terça-feira, 14, uma palestra promovida pelo Centro de Referência da Assistência Social (Cras I) sobre os tipos mais comuns de violência praticados contra os idosos. A exposição foi feita pela assistente social Sônia Maria Ortiz no auditório do Centro da Juventude Agnaldo Mackert Barbosa.

Sônia Maria falou sobre como a violência é engendrada pelo agressor e informou que, “conforme as estatísticas, o ofensor costuma ser majoritariamente um filho ou neto”, além de abordar o impacto que a violência suscita na vida da vítima. Por outro lado, a assistente social apresentou as alternativas para enfrentar essa situação, ao explicar como funciona a rede de atendimento e proteção à pessoa idosa vítima de violência, bem como os canais de denúncia.

A ação foi planejada e executada pelo Cras I, que fica na Rua Sagrada Família, 3383, ao lado da unidade básica de saúde do Parque Dom Pedro. O coordenador Rogério Ângelo da Silva lembra, porém, que o Cras não é o equipamento público responsável pelo atendimento dessa demanda específica.

“Os casos de violência contra os idosos devem ser encaminhados para acompanhamento ao Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas) e Centro de Referência em Atendimento à Mulher (Cram). Realizamos esta atividade em alusão ao dia de conscientização porque o assunto é sensível e exige mais atenção por parte da sociedade”, explicou o coordenador.

A violência contra o idoso pode ser definida como um ato único, repetido ou a falta de ação apropriada, ocorrendo em qualquer relacionamento em que exista uma expectativa de confiança que cause dano ou sofrimento a uma pessoa idosa. “É uma questão social global que afeta a saúde e os direitos humanos dos idosos do mundo todo e que merece a atenção da comunidade”, reforçou a secretária municipal da Assistência Social, Adnetra Vieira dos Prazeres Santana.

Os tipos de violência mais comuns contra as pessoas idosas são a negligência, o abandono e as agressões física, sexual, psicológica/emocional e também a violência financeira (ou material). A negligência ocorre quando os responsáveis deixam de oferecer cuidados básicos, como higiene, saúde, medicamentos e proteção contra frio ou calor.

CRIMES

O abandono é uma forma extrema de negligência. Acontece quando há ausência ou omissão dos familiares ou responsáveis, governamentais ou institucionais, de prestarem socorro a um idoso que precisa de proteção. A violência física caracteriza-se pelo uso da força para obrigar o idoso a fazer o que não deseja, ferindo, provocando dor, incapacidade ou até a morte.

A psicológica ou emocional é a mais sutil das violências. Inclui comportamentos que prejudicam a autoestima ou o bem-estar do idoso, como xingamentos, sustos, constrangimento, destruição de propriedade ou impedimento de que vejam amigos e familiares. E a violência financeira ou material é a exploração imprópria ou ilegal dos idosos ou o uso não consentido de seus recursos financeiros e patrimoniais.

POPULAÇÃO DEVE DENUNCIAR ESSAS MALDADES

A população pode procurar orientação ou denunciar casos suspeitos ao Conselho Municipal dos Direitos do Idoso (CMDI) pelos fones (44) 3906-1092 ou 3906-1019, unidades municipais de saúde, Delegacia e Polícia Militar (190), Guarda Municipal (153) e Disque 100 (Direitos Humanos). FONTE – Prefeitura de Umuarama

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Comentários
Veja também