Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - CAMPANHA NIVER 63 ANOS
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - Matriculas Abertas
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner mobile rodape
Anúncio - banner rodape
EM UMUARAMA
Demolição de casas abandonadas!
Moradores realizaram o sonho da casa própria e deixaram as velhas...
Publicado em 08/06/2017 às 00:00 Italo
Demolição de casas abandonadas!

A Prefeitura de Umuarama está demolindo 37 casas cujas famílias estão se transferindo para unidades do Conjunto Habitacional Sonho Meu – Fase II, inaugurado na última semana.

A ação atende orientação da Defesa Civil e envolve o trabalho de equipes das secretarias municipais de Habitação, Serviços Públicos e Assistência Social.

As moradias estão localizadas em área de risco ou de proteção ambiental, próximo às margens e nascentes de rios que cortam a cidade.

O objetivo, de acordo com o secretário municipal da Habitação, Mauro Liutti, é evitar que as casas irregulares voltem a ser ocupadas e também possibilitar a recuperação ambiental das áreas degradadas pela invasão.

“Essas famílias tiveram prioridade na seleção dos beneficiários da fase dois do Sonho Meu, porque viviam em situação de risco, ambiente insalubre e sem as mínimas condições de vida. Elas tiveram acompanhamento da Assistência Social e eram monitoradas também pela Defesa Civil”, explicou o secretário.

A demolição das casas inviabiliza novas ocupações nos mesmos locais e cria condições para a recuperação da cobertura florestal nas áreas de preservação.

“A vegetação se recompõe sozinha, com o tempo, o que ajudará a proteger as margens de rios, além de favorecer também a recuperação da fauna”, acrescentou Liutti.

O trabalho teve o acompanhamento da Guarda Municipal e transcorreu sem incidentes. A expectativa do secretário da Habitação é de que até o final da semana, todas as casas já tenham sido demolidas.

Outro ponto destacado pelo secretário é a saúde pública. Como as áreas invadidas são próximas a córregos, encostas e trechos de mata, podem abrigar cobras, caramujos, aranhas, escorpiões e roedores capazes de transmitir doenças infectocontagiosas, como leptospirose, leishmaniose e dengue, além do risco de picadas de insetos venenosos.

A existência de habitações na mata ciliar também prejudica as nascentes. Algumas chegam a secar, agravando as agressões ambientais.

FONTE: Prefeitura de Umuarama

www.colunaitalo.com.br

Comentários
Veja também