Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - banner mobile
Anúncio - Pilates mobile topo
Anúncio - Ecogarden mobile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - TOP LIFE RODAPE
Anúncio - CAMPANHA FIQUE EM CASA
Anúncio - MOMENTO SUPERA
Anúncio - banner mobile rodape
BRASIL BRASILEIRO
O Ensino Cívico voltará às escolas?
Educação Moral e Cívica: a disciplina do conhecimento entre o bem e mal
Publicado em 29/03/2018 às 09:12 Ítalo
O Ensino Cívico voltará às escolas?

A disciplina Educação Moral e Cívica, instituída no Brasil durante a Ditadura Militar e extinta em 1993, voltará às escolas de Brasília em 2019.

A intenção, por enquanto, é que ela seja ensinada apenas nas escolas do Distrito Federal, pois o projeto de lei aprovado recentemente foi do deputado distrital Raimundo Ribeiro. O deputado diz não ter aspirações militares com a proposta, porém discursou longamente usando frases inteiras do projeto de lei aprovado em 1969, quando o regime militar atuou duramente.

“Os alunos precisam conhecer seus direitos e deveres” – diz ele – “ ter respeito ao próximo, ter conhecimento sobre o papel das instituições e do Estado. Acho que a lei tem apoio popular”, completa. 

OPINIÃO

Por um bom tempo, a disciplina foi usada como ferramenta de doutrinamento das jovens mentes brasileiras. Fato. Depois foi retirada do currículo escolar e nunca mais se ouviu falar em hino nacional e bandeira, salvo nos jogos de futebol.

O mais estranho é que o nome dessa disciplina começa com “Educação Moral”, ou seja, a compreensão e o discernimento entre o certo e o errado. É isso que significa educação moral.

E embora a responsabilidade da formação moral nem seja da escola, mas da família, ela fazia parte da grade curricular do Ensino Fundamental e trazia a tona temas como respeito ao próximo, às autoridades, aos espaços públicos, direitos e deveres do cidadão.

Não sei sobre você, mas eu não vi a repressão da ditadura. Nasci em 1980. Mas no meu tempo ainda se hasteava a bandeira e cantava-se o hino nacional ao menos uma vez por semana... Foi nessas ocasiões que fiquei conhecendo outros hinos pátrios como o da Marinha Brasileira. Uma linda composição! Nessa época também os livros didáticos eram ilustrados e no verso dos cadernos havia o hino nacional e o brasão da república.

O que eu vivi não foi doutrinamento. Foi conhecimento.

E hoje esse conhecimento faz falta nas escolas. É de assustar ver que a geração atual de estudantes mal conhece os símbolos nacionais do país onde vive. Mas o que faz falta mesmo é o ensino do respeito, da honra e da responsabilidade pelo próprio país. Esses temas nem vem à tona durante as aulas.

Se perguntar hoje a uma criança o que são “Armas Nacionais”, é mais fácil ela pensar em uma AR-15, daquelas que se vê nas mãos dos traficantes, do que em um símbolo que representa o seu país.

Penso que rola todo um exagero quando o assunto é educar as crianças para a amarem a pátria. Eu sei que o brasileiro sofreu com a repressão e tem medo do militarismo... como jornalista sei que a imprensa era obrigada, muitas vezes a publicar receita de bolo na capa do jornal por ser impedida de falar francamente. Isso não era bom, eu sei. Não desejo essa mordaça novamente.

Mas a situação em que chegamos também é extrema. É vergonhosa.

Lutou-se tanto por liberdade e o que se tem é isso?!

Não sei se é resultado das aulas de Educação Moral e Cívica, mas sou capaz de ver que o Brasil não vai bem.

Por ANITA LEITE, jornalista.

Comentários
Veja também