Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - BANNER NOVO MOBILE SETEMBRO
Anúncio - JARDIM VERSAILLES FRANÇOLIN
Anúncio - banner topo 2021
Anúncio - Casa Gomes banner lateral
Anúncio - arte nova mobile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - 2 dose completa mobile
Anúncio - Sustentabilidade móbile
Anúncio - banner mobile rodape
CONCURSO
Passei em dois concursos, e agora?
Professor da LFG dá as dicas para você tomar a decisão
Publicado em 13/10/2017 às 15:10 Ítalo
Passei em dois concursos, e agora?

Em tempos de incerteza financeira como o que vivemos atualmente, ser um funcionário público municipal, estadual ou federal traz diversas vantagens como a estabilidade, plano de carreira e salários acima da média em comparação com os oferecidos pela iniciativa privada.

Porém, com o aumento da concorrência, a dedicação, planejamento, disciplina, perseverança e uma boa preparação do candidato são fatores primordiais para se diferenciar e conseguir passar nas provas.

Mesmo com todos esses desafios, há pessoas que se dedicam bastante e recebem a recompensa em dobro, ou seja, conseguem a aprovação em mais de um concurso público que prestou.

O professor da LFG, Edilson Vitorelli, já passou por essa situação. Há nove anos ele foi aprovado em um concurso para Juiz Federal e, depois de assumir o cargo, recebeu a boa notícia da aprovação no concurso para Procurador da República. Leia abaixo a história desse professor que tinha uma difícil decisão para tomar:

O professor Edilson Vitorelli estudou na LFG para se preparar para os concursos de Juiz Federal do Tribunal Regional Federal da 4ª Região e também para o concurso do Ministério Público Federal. O concurso do Tribunal Regional Federal terminou antes e o professor foi aprovado em 6º lugar. Então, tomou posse como juiz federal.

Com o concurso para o MPF ainda em andamento, Edilson decidiu seguir para as próximas etapas e também foi aprovado, dessa vez em 5º lugar, para Procurador da República.

“Fiquei com essa decisão na mão, de ter que optar em continuar na carreira de Juiz Federal ou assumir o cargo de Procurador da República. Isso pode parecer uma coisa boa para muita gente, mas na verdade é uma decisão difícil porque são duas carreiras muito boas”, conta Edilson.

O professor Edilson Vitorelli conta que escolher pela carreira de Juiz Federal ou Procurador da República foi uma decisão muito difícil a tomar. “Eu não sabia de qual carreira eu ia gostar mais. Eu achava que ia gostar do Ministério Público Federal, mas eu gostava também de ser juiz, são duas carreiras muito bonitas e interessantes.

Edilson optou por seguir a carreira de Procurador da República, onde atua há quase 9 anos.

Tendo vivido a situação da dúvida, e sabendo a dificuldade de tomar a decisão sobre qual carreira seguir, o professor dá algumas dicas para quem está passando por esse momento:

1.Converse com profissionais das duas áreas

O professor conta que uma das atitudes mais importantes que o fizeram acertar na decisão foi a conversa com colegas que já atuavam nas duas carreiras há algum tempo. “Conversei com juízes e membros do MPF para entender como eram as funções, quais eram as perspectivas futuras da carreira, como era o salário e o trabalho em si, além de entender como era o dia a dia da instituição”, explica.

2.Pense no longo prazo

Decisões dessa magnitude são importantes e difíceis de serem tomadas, por isso, Edilson revela que a importância de considerar o longo prazo.

“Depois de obter esses resultados eu não pretendia mais voltar a prestar concursos e eu sabia que, caso fizesse a escolha errada, poderia ser infeliz para o resto da vida. Levei em consideração que teria ainda uma carreira de 35 anos pela frente, então não poderia simplesmente decidir levando em conta o salário ou alguma questão periférica exclusivamente”, diz.

3.Dificuldade do concurso

Edilson também considerou a dificuldade em todas as fases do concurso para decidir por qual carreira optar.

“Naquela época o concurso do MPF era bem mais difícil. Então, se eu me arrependesse e tivesse que fazer um concurso pela segunda vez, seria mais fácil passar no concurso para juiz federal do que no concurso do MPF”, explica o professor.

4.Conhecer as próprias habilidades

Ao se lembrar da escolha, Edilson confirma estar 100% seguro de ter seguido o caminho certo. “A carreira do Ministério Público me permite ser mais ativo e construir teses, em vez de julgar teses construídas por outras pessoas. Eu não faço questão de ter a palavra final, pois meu perfil é mais voltado à construção de coisas novas, por isso escrevo livros e faço diversas pesquisas”, revela.

DICAS DO PROFESSOR

Para as pessoas que não se decidiram e têm dúvidas sobre qual caminho seguir no funcionalismo público, Edilson recomenda que, ao menos, tenham foco sobre a área que desejam atuar.

 “Recomendo que o aluno só faça um investimento em dois concursos se eles tiverem programas equivalentes, ou seja, editais com conteúdos aproximados, que é o que acontece com MPF e magistratura federal”, conta.

“A mesma equivalência acontece com as carreiras da advocacia pública federal, por exemplo. Por outro lado, acho muito difícil a pessoa estudar, ao mesmo tempo, para o MP estadual e para o MPF, por exemplo. São carreiras muito distintas e com conteúdos distintos”, explica Edilson.

Ainda que a pessoa preste mais de um concurso, é importante ter um foco de estudo. “Não é preciso focar em uma prova, mas é fundamental que o estudante esteja se preparando para uma carreira, ainda que, se aproveitando das semelhanças, ele preste mais de um concurso”, finaliza Edilson.

Para passar em concursos públicos é importante estar focado, se preparar com dedicação e prestar provas que trarão oportunidade profissional de seu interesse, pois assim aumenta o entendimento sobre as matérias e melhora as chances para conseguir a aprovação.

Aproveite essas dicas e boa sorte nas provas de concursos públicos e no momento de escolher qual carreira seguir!

Aproveite também a oportunidade de fazer cursos preparatórios para concursos na LFG!

Comentários
Veja também