Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - Ecogarden mobile
Anúncio - banner mobile
Anúncio - banner rodape
Anúncio - banner mobile rodape
Entenda os símbolos da semana da páscoa
Ramos, quinta da paixão e sexta feira santa
Publicado em 26/03/2018 às 09:34 Ítalo
Entenda os símbolos da semana da páscoa

Com certeza você já ouviu os termos “quaresma, domingo de ramos e sexta feira santa”, entre outros. Para alguns, essas datas do calendário cristão representam apenas dias de folga ou dias de festas... Mas você sabe mesmo o que essas datas e feriados significam para os católicos?

Quaresma

Já faz mais de 30 dias que os devotos católicos estão na chamada quaresma. Esse período de 40 dias se completa na Sexta-Feira Santa e representa a mudança de vida daqueles que deixam o pecado e desejam viver em comunhão com Cristo. A quaresma começa na Quarta-feira de Cinzas, que representa o arrependimento pelos pecados cometidos durante “a festa da carne”, o Carnaval.

As cinzas usadas durante a missa são resultado da queima dos ramos usados no Domingo de Ramos do ano anterior. Essas cinzas representam a morte da velha vida e a conversão para novos hábitos. Por isso, o cristão é aconselhado a passar os 40 dias da quaresma em penitência, em jejum.

Embora a palavra “jejum” signifique ausência de alimentação, na quaresma ela representa apenas o não consumo de carne vermelha. Essa restrição tem a intenção de levar o fiel a participar do sacrifício de Jesus.

Domingo de Ramos

O umuaramense mais atento viu, ontem, um grupo de fiéis católicos em procissão carregando folhas de palmeiras em suas mãos, mesmo sob chuva fina. Esse grupo estava participando da tradição do Domingo de Ramos.

Essa procissão representa um momento da história bíblica em que Jesus entrou na cidade de Jerusalém e foi saudado pelos moradores com ramos de folhas de palmeira. Naquela ocasião, as crianças cantaram e os adultos retiraram suas capas e jogaram no chão, para que Jesus (em uma jumenta) passasse sobre elas.

Esse momento da história de Cristo também é celebrado com aqueles lindos tapetes de rua feitos com serragem, borra de café, flores e outros materiais. No entanto, na tradição católica, os tapetes só são feitos no Domingo de Páscoa, uma semana depois... o que não tem explicação!

Quinta feira Santa

Também chamada de “Grande e Sagrada Quinta Feira”, na quinta feira que antecede a Páscoa é celebrada a Missa da Ceia do Senhor, em alusão à Santa Ceia descrita nos evangelhos.

Curiosamente, apenas em alguns lugares do mundo é feita também a cerimônia do lava-pés, em celebração ao ato de auto humilhação em que Jesus lavou os pés dos discípulos, antes de cear com eles. No Brasil, a cerimônia não é comum nas dioceses, mas pode ser realizada em mosteiros e conventos.

Outra curiosa tradição é a visita a sete igrejas, durante a noite da Quinta Feira Santa, sem explicação bíblica.

Sexta Feira da Paixão

É na Sexta Feira da Paixão que são feitas encenações teatrais que narram a história da morte e ressurreição de Jesus. De acordo com a Bíblia, Jesus foi morto na sexta feira que antecedeu a comemoração da páscoa judaica.

Para os católicos, esse dia é de profunda meditação, onde rituais de penitência são recomendados, assim como o jejum e a abstinência de prazeres mundanos.

Páscoa

De acordo com a Bíblia, a Páscoa não é uma data católica, sequer é uma data cristã. A Páscoa já era celebrada pelos judeus antes mesmo do nascimento de Cristo e comemora a libertação do cativeiro egípcio. Na Páscoa, os judeus comem carne de carneiro, o que tem valor simbólico e cerimonial.

Como Cristo ressuscitou no dia da Páscoa, a data foi “emprestada” das comemorações judaicas, para as católicas. As datas mencionadas anteriormente fazem parte da tradição católica, ou seja, embora tenham relação com relatos bíblicos da vida de Jesus, não são datas literais, mas simbólicas.

É por isso que, dentro do cristianismo, as diversas denominações (protestantes, evangélicos e outros) celebram a páscoa de diferentes formas.

Por Anita Leite

www.colunaitalo.com.br

Comentários
Veja também