Coluna Italo

(44) 99941-8859
Anúncio - BANNER PERSIANAS
Anúncio - banner mobile natal
Anúncio - Banner mobile
Anúncio - Ecogarden mobile
Anúncio - BANNER MOBILE NATAL
Anúncio - banner móbile
Anúncio - campanha nova mobile
Anúncio - banner rodape
DESDE CEDO
Educação Financeira: O segredo do equilíbrio!
5 dicas para ensinar as crianças a utilizarem corretamente o dinheiro
Publicado em 20/11/2019 às 16:03 Ítalo
Educação Financeira: O segredo do equilíbrio!

O brasileiro está se acostumando a ouvir sobre Tesouro Direto, Aplicações, Juros e outras palavras do “economês”.

Esse idioma tão complicado sempre dificultou a vida da maioria das pessoas. Isso porque o jeito básico de realizar a economia doméstica e cuidar das finanças familiares já não é suficiente em tempos de tecnologia.

Todo esse caos se dá porque a geração de pessoas que hoje está na frente de trabalho e que move o comércio nacional nunca fora educada financeiramente. É isso mesmo. Fazemos parte de uma geração que não aprendeu a administrar o dinheiro, fez e faz muita bobagem com ele!

Educação financeira

Para que a história não se repita, tem muita gente interessada em ensinar como cuidar das finanças e desfrutar dos benefícios. O YouTube está cheio de influencers contando todos os segredos para fazer para o dinheiro trabalhar para você. (Lembra da Betina? Kkk...)

Há também a iniciativa empresarial em educar a população: O Sicoob lançou uma série de revistinhas com a Turma da Mônica como protagonistas de histórias que ensinam como poupar e aplicar dinheiro, vivendo de bem com as finanças.

Comece em casa

Além de organizar suas próprias finanças, é válido colaborar com as novas gerações. Ensinar os filhos, alunos e sobrinhos a administrarem o próprio dinheiro é também educar!

Aqui vão algumas dicas práticas de como fazer isso:

1- Comece cedo

A partir do momento em que a criança percebe que é preciso dar dinheiro para a pessoa no caixa do supermercado antes de levar os produtos para a casa, a educação financeira deve ser iniciada. Fale sobre o processo de compra, permita a ela que entregue as notinhas ou o cartão para o atendente. Mesmo que como uma brincadeira, a criança começa a entender o processo.

Utilizar notinhas de brinquedo e brincar de fazer comércio e ir ao banco, ajuda a criança a reconhecer o sistema monetário e a entende-lo. Também vai incentivar a criança a fazer cálculo mental e compreender conceitos como compras à vista, compras a prazo, dívida, empréstimo e outros. 

2- Prática

Dar oportunidades para que a criança consiga o seu próprio dinheiro é fundamental. A partir de sete ou oito anos, a criança já pode ser desafiada a cumprir algumas tarefas domésticas em troca de alguns reais.

Faça uma tabela semanal e marque pontos para as tarefas realizadas. Ao fim da semana faça o “pagamento” pela produtividade.

Observação: Nem todas as tarefas domésticas precisam ser recompensadas com dinheiro. Estabeleça regras e critérios para esse sistema de recompensas, deixe essas regras claras (escreva e pendure na parede, se for necessário) e cumpra a sua parte.

3- Poupar sempre

Ensine a criança que “quem poupa sempre tem”. Essa é a filosofia dos maiores milionários do mundo!

No entanto, um bom administrador sabe quando é hora de gastar e quando é hora de poupar. Ensine a criança a desfrutar de seus bens no presente, favorecendo um amanhã mais confortável.

4- Ensine a compartilhar

Algumas religiões incentivam a prática de “separar o dízimo” para manter obras de caridade e a manutenção da igreja. Essa atitude colabora com o desprendimento e a redução de sentimentos como a avareza.

Outras atitudes como comprar alimentos para doar, dar esmolas a um pedinte, repassar roupas e brinquedos usados para crianças menores e outras atitudes só vão ajudar na educação financeira.

5- Vá além

Por volta de 10 anos de idade, a criança pode começar a compreender como os bancos funcionam, como o dinheiro pode render quando devidamente aplicado, entre outras informações mais detalhadas. É claro que tudo deve ser explicado na linguagem da criança, porém esse assunto não deve passar despercebido.

Se a criança já foi capaz de poupar uma pequena quantidade de dinheiro, é hora de abrir uma conta para aplicações financeiras. Será divertido ver o dinheiro “crescendo” a cada mês. A criança se sentirá motivada a continuar ganhando, poupando e aplicando.

WWW.COLUNAITALO.COM.BR

Anúncio - Dentista
Comentários
Veja também